Análise: Finanças de Benfica, Porto e Sporting (R&C 2015/2016)

Análise realizada por Bruno Silva (InnovMark)

Atendendo ao mediatismo que está a recair sobre a temática das Finanças de Benfica, Porto e Sporting foi elaborada uma análise para se perceber melhor a situação dos 3 Grandes do Futebol Português, atendendo aos Relatórios e Contas das 3 SAD’s (época 2015/2016).

financas2

Em termos gerais verifica-se um aumento dos Rendimentos anuais da Benfica SAD, e um decréscimo da Porto SAD e da Sporting SAD. Ao nível dos Resultados do Período 2015/2016, a Benfica SAD teve os seus lucros a aumentar para os 20,4M€, enquanto que a Porto SAD e a Sporting SAD agravaram a sua situação passando de lucros para prejuízos (58,3M€ e 31,9M€ respectivamente).

financas

Analisando as principais rubricas da Demonstração de Resultados e do Balanço das 3 SAD’s, poderemos retirar as seguintes conclusões:

Resultados Operacionais:

A Benfica SAD é a que obtém mais Rendimentos Operacionais (126,1) tendo melhorado a sua situação face à época anterior. A Porto SAD piorou a sua situação ao obter menores receitas com a UEFA, tendo obtido 75,9M€. A Sporting SAD melhorou a sua situação situando-se nos 68,8M€ de Rendimentos Operacionais.

As 3 SAD’s agravaram os seus Gastos Operacionais, e as rubricas FSE’s e Gastos com Pessoal representam a grande maioria dos Gastos dos 3 Grandes. A Porto SAD foi a que despendeu mais em Gastos com Pessoal (75,8M€) sendo seguida da Benfica SAD (61,5M€) e da Sporting SAD (48,9M€) que praticamente duplicou a verba despendida com os funcionários (dirigentes, treinadores, jogadores, etc)

A Benfica SAD foi a única a obter Resultados Operacionais positivos (+7,9M€) pelo facto de os Rendimentos Operacionais (126,1M€) terem superado os Gastos Operacionais (118,2M€). A Porto SAD agravou muito a sua situação (-48,6M€), com 75,9M€ de Rendimentos Operacionais e 124,5M€ de Custos Operacionais. A Sporting SAD também agravou a sua situação (-9,7M€) tendo obtido 68,8M€ de Rendimentos Operacionais e 78,5M€ de Gastos Operacionais.

Resultado com Transacções de Atletas:

Ao nível dos Rendimentos com Transacções de Atletas, a Porto SAD neste momento contabiliza o Valor “Bruto” das Vendas, incluindo o Valor Contabilístico dos jogadores transaccionados como “Gastos com Transacções de Atletas”, enquanto que a Benfica SAD e a Sporting SAD contabilizam as Mais-Valias obtidas com as Vendas, além dos Rendimentos com Empréstimos. Por norma as Mais-Valias (Valor “Líquido”) costumam ser a referência a contabilizar como Rendimentos, e deveria ser essa a metodologia a adoptar pelas 3 SAD’s. Com esta opção a Porto SAD inflaciona de forma “artificial” os seus Rendimentos Totais, sem expressão prática na actividade da SAD. Com essa metodologia diferente dos rivais, a Porto SAD inflacionou os Rendimentos com Atletas em 28,5M€ em 2014/2015 e em 31,6M€ em 2015/2016.

Analisando em concreto estas rubricas a Benfica SAD obteve 81,9M€ de Rendimentos com Atletas, a Porto SAD 75,4M€ de Rendimentos “Brutos” (tendo obtido 40,2M€ de Mais-Valias com alienações de Atletas, em relação aos 71,8M€ “Brutos” relativos às alienações), e a Sporting SAD obteve 7,7M€ de Rendimentos com a Transacções de Atletas. Apenas foram consideradas transacções entre 1 de Julho de 2015 a 30 de Junho de 2016, sendo que o exercício económico difere da época desportiva e do período de transferência que ocorre no verão.

Os investimentos totais realizados pelas 3 SAD’s, em Atletas, têm de ser Amortizados ao longo da duração dos contratos. Neste momento a SAD do Benfica tem maiores custos com Amortizações e Imparidades (36,8M€) pelo facto de ter investido mais em Atletas. A Porto SAD ficou-se pelos 31,6M€ e a Sporting SAD ficou-se pelos 9,4M€. Além das Amortizações é necessário abater aos Rendimentos com Atletas os Gastos com Transacções (custos com intermediação, fundos de solidariedade, etc) e no caso da Porto SAD ainda é preciso subtrair o valor contabilístico que os Atletas transaccionados tinham no Balanço no momento da sua venda (31,6M€). Nos Gastos com Transacções do Sporting foi considerada a despesa com a Doyen no caso Rojo (15,0M€), que é um Custo não recorrente.

No global, a Benfica SAD tem tido Resultados positivos com a Transacção de Atletas (+30,1M€) a Porto SAD obteve um resultado positivo de 7,1M€ e a Sporting SAD teve um resultado negativo -16,7M€. Entre 1 de Julho a 31 de Agosto foram realizadas transacções de Atletas que já não entraram no exercício económico de 2015/2016 e serão considerados no 1º Trimestre de 2016/2017.

Resultados Financeiros: 

A Benfica SAD apresenta Resultados Financeiros superiores (-17,5M€) em relação à Porto SAD (-15,2M€) e à Sporting SAD (-5,8M€) pelo facto de ter dívida financeira superior aos rivais. Por outro lado, o Sporting teve parte da dívida financeira que passou para VMOC’s (valores mobiliários obrigatoriamente convertíveis) que na prática não pagam taxa de juro. Analisando os montantes da dívida financeira e dos VMOC’s pode-se considerar que a Sporting SAD deveria ter custos financeiros superiores, face às condições normais do mercado disponíveis para a generalidade das empresas.

Resultado Líquido do Período:

A Benfica SAD foi a única a obter lucros (+20,4) em 2015/2016, tendo melhorado a sua situação, enquanto que a Porto SAD e a Sporting SAD pioraram imenso a sua situação. A Porto SAD passou de lucros de 20,0M€ para prejuízos de -58,3M€. A Sporting SAD passou de lucros de 19,3M€ para prejuízos de -31,9M€.

Activo, Passivo, Capital Próprio:

Pelo facto de não se conhecer os Relatórios e Contas Consolidados, que consideram todo o Grupo Empresarial (Clube + Empresas), apenas é possível comparar a situação das 3 SAD’s.

A Benfica SAD tem o maior Activo (476,4M€) e Passivo (455,5M€) apresentando 20,9M€ de Capital Próprio Positivo. A Porto SAD tem 375,1M€ de Activo e 349,2M€ de Passivo, e um Capital Próprio de 25,9M€, no entanto considera 59,4M€ de Interesses sem controlo, pelo facto de consolidar 100% da EuroAntas (onde está o Estádio do Dragão) tendo o Porto “clube” uma participação de 53%. A Porto SAD detém 47% dessa entidade. Excluindo os interesses sem controlo a Porto SAD fica com -33,6M€ de Capital Próprio negativo. A Sporting SAD tem Capital Próprio negativo de -25,0M€ e ainda tem de se considerar 127,9M€ de VMOC’s, que até 2026 serão convertidos em Capital Social. Até essa situação acontecer, se a Sporting SAD pretender manter o controlo da sua SAD terá de gerar resultados nos próximos anos que permitam assumir a maioria dessas responsabilidades com os VMOC’s.

Conclusões Finais:

A Benfica SAD é neste momento a única SAD que tem a situação Operacional positiva, e é aconselhável que as 3 SAD’s procurem obter equilíbrio nesta rubrica, devido ao fair-play financeiro. Por outro lado, a UEFA recomenda que os clubes não gastem mais do que 70% dos Rendimentos Operacionais em Gastos com Pessoal.

A Benfica SAD é neste momento a única SAD que tem Capital Próprio positivo, atribuível aos accionistas da empresa-mãe (clube), e é importante que as 3 SAD’s melhorem consideravelmente os seus Capitais Próprios de forma a melhorar a sua Autonomia Financeira.

Por último, A Benfica SAD foi a única em 2015/2016 a obter lucros, e além do equilíbrio operacional, de forma a fazer face às Amortizações de Atletas, aos Gastos com as transacções e aos Resultados Financeiros, as 3 SAD’s terão de realizar todos os anos vendas consideráveis que possam gerar mais-valias que permitam cobrir esses custos que são considerados como custos não “operacionais”. As SAD’s de Benfica, Porto e Sporting continuarão a ter a necessidade de vender alguns dos melhores jogadores, em cada época, para corresponder aos seus Gastos Totais. Se isso não acontecer, verifica-se o que aconteceu à Porto SAD e à Sporting SAD, que apresentaram no total 90,2M€ de prejuízos numa única época.

ANEXO:

Comunicado 2015/2016 da Benfica SAD na CMVM

R&C 2015/2016 da Porto SAD, na CMVM

R&C 2015/2016 da Sporting SAD, na CMVM

* Análise realizada por Bruno Silva (InnovMark)

https://www.facebook.com/brunojmsilva

https://pt.linkedin.com/in/brunosilva