Artigo de Opinião: “A tecnologia e o RGPD” (Revista SPOT)

Partilha!

 

A tecnologia e o RGPD

Por Bruno Silva (Revista SPOT)

Recentemente a temática do RGPD – Regulamento Geral de Proteção de Dados ganhou um mediatismo acrescido e uma preocupação por parte das empresas que tentam respeitar os seus princípios de forma a evitar multas pesadas.

Importa referir que o RGPD incide sobre as informações pessoais que as organizações recolhem por parte dos seus clientes, colaboradores, parceiros, utilizadores, etc, sejam elas armazenadas em bases de dados digitais ou em arquivos em papel. Além disso, existe uma abrangência maior do conceito de dados pessoais ao se considerar além das informações pessoais habituais (nome, morada, telemóvel, e-mail, data de nascimento, etc) também os dados biométricos que são recolhidos pelas tecnologias que utilizamos (smartphones, smartwatches, etc) e que consistem em características fisiológicas (impressões digitais, reconhecimento pela íris ou pelo rosto, etc)  ou até dados comportamentais (voz, gestos corporais, hábitos diários que podem ser monitorizados, etc).

Do ponto de vista do marketing importa referir que existe alguma confusão quanto a esta temática e além da autorização para o armazenamento e gestão das informações pessoais deverá ser necessário um consentimento adicional explicito para a utilização dos dados pessoais para efeitos de marketing directo (criação de bases de dados e automatização de contactos através de sms’s, telemarketing, e-mails, etc). Além disso existe a possibilidade de a qualquer momento um ex-cliente solicitar o “esquecimento”, ou seja, a eliminação de todas as suas informações pessoais, com excepção dos dados incluídos nas Facturas, que devem ser armazenados durante alguns anos devido a imperativos legais.

O facto de uma pessoa, utilizador ou cliente, ceder os seus dados pessoais a uma organização não significa obrigatoriamente que esteja a dar autorização automática para ser contactado para fins de marketing directo. Nesse sentido o RGPD tal como a legislação do comércio electrónico, que está em vigor desde 2004, considera a temática das comunicações não solicitadas e a importância da autorização (opt-in) no âmbito do marketing directo e a facilitação da hipótese de remoção do consentimento a qualquer momento (opt-out). Nem sempre as empresas respeitavam estes princípios, no entanto agora com o RGPD esta temática ficou clarificada e reforçada.

 

Bruno Silva

—> Perfil de Bruno Silva no Facebook
—> Perfil de Bruno Silva no LinkedIn

# Coach, Consultor e Formador nas áreas da Inovação, Marketing e Empreendedorismo, desde 2009 na InnovMark, colaborando também com Instituições de Ensino Superior, Entidades de Consultoria e de Formação profissional, Associações Empresariais, onde se incluem projectos geridos pela AEP, IAPMEI, CAP, AIP, CCP, CTP, CIG, etc.

# Speaker / Orador, desde 2009, com mais de 100 presenças nos principais Congressos, Seminários, Workshops e Conferências nacionais e Feiras de Negócios nas áreas da Inovação, Marketing e Empreendedorismo.

# Fundador e Community Manager, desde 2006, do Portal Inovação & Marketing, que conta actualmente com mais de 80.000 Subscritores, considerando todos os formatos de subscrição, sendo um dos maiores projectos deste género em Portugal.

# Cronista desde 2006 no Portal Inovação & Marketing, Revista Inovar-te, Portal AEP, Revista Brasileira de Administração, Revista Farmácia Distribuição, E-Go-Marketing, Revista Portugal Inovador (Jornal Público), RTP2, Marketing Farmacêutico e Revista SPOT.

# Fundador e Community Manager, desde 2013, do “Dish Mob Portugal” que promove o espírito “Dish Mob”, e que é um importante movimento nacional de promoção do networking e aceleração de ideias nas áreas da inovação e do empreendedorismo, com mais de 30 eventos já organizados.

– Licenciatura Pré-Bolonha em Gestão pela Universidade do Minho (2004).
– Pós-Graduação em Marketing pelo IPAM – Marketing School (2006).
– Pós-Graduação em Gestão da Tecnologia, Inovação e Conhecimento pela Universidade de Aveiro (2007)
– Curso de Especialização em Empreendedorismo de Base Tecnológica pela Universidade de Aveiro (2007)
– Formações Profissionais em Vendas, Excelência Pessoal, Inteligência Emocional e Criatividade, Gestão do Stress, Organização de Eventos, Comunicação em Público, E-Business, etc.

Partilha!