Artigo de Opinião “42,9 Mil Milhões para Projectos Interesse Nacional” (Revista SPOT)

Partilha!

Por Bruno Silva

Publicado na Revista SPOT

Dos 58 Mil Milhões de euros disponibilizados pela União Europeia para investir em Portugal, durante os próximos 10 anos, já foram apresentados vários projectos de investimento classificados como Projectos de Interesse Nacional, com um investimento total público, privado e cofinanciado pela União Europeia, no valor de 42,9 Mil Milhões de euros.

Estes Projectos de Interesse Nacional foram identificados em vários sectores como são o caso dos transportes e mobilidade, ambiente, energia e regadio.

Em termos de transportes e mobilidade as prioridades vão incidir na mobilidade e transportes públicos, ferrovia, rodovia, marítimo, portuário e aeroportuário, no valor total de 21.660 milhões de euros, dos quais 81,7% serão investimento público, sendo que a Ferrovia recebe quase metade desse investimento com grande destaque para as linhas de alta velocidade porto – lisboa e porto – vigo. As ligações terrestres às áreas empresariais, coesão territorial e transfronteiriça e novos terminais nos portos marítimos serão algumas das áreas de investimento que permitirão apoiar o comércio internacional.

Em termos de ambiente e energia existem áreas chave de investimento como são o caso da sustentabilidade ambiental com 7.418 milhões de euros, dos quais 93% de investimento público e a transição energética com um investimento de 13.060 milhões de euros, dos quais 5,5% de investimento público. Nesta área da energia estão previstos cerca de 7.000 milhões de euros de investimento em gases renováveis (hidrogénio).

Ao nível do regadio estão em causa o aumento e revitalização da área de regadio, com um investimento de 750 milhões de euros. 

Dos 58 mil milhões de euros que Portugal vai receber de fundos comunitários o Governo já reservou para estas áreas de investimento cerca de 25 mil milhões de investimento público, financiado por receitas estatais nacionais e principalmente por verbas comunitárias.

Importa agora perceber os sectores para os quais serão direccionados os apoios para o investimento do sector privado de forma a aumentar a capacidade exportadora da nossa economia, onde a agroindústria, a indústria 4.0, as indústrias criativas e as indústrias tradicionais internacionalizáveis devem merecer um grande destaque nas prioridades para os próximos 10 anos de forma a apoiar sectores empresariais inovadores como são o caso dos clusters da saúde, moda, tecnologias de informação e comunicação, turismo e sustentabilidade, abrangidos pelo programa operacional factores de competitividade (compete).

No entanto, nenhuma organização será competitiva sem capital humano de qualidade preparado para os desafios do futuro e para as competências-chave que serão determinantes para a competitividade internacional, das nossas empresas em particular e da nossa economia no geral, e nesse sentido será importante um investimento considerável na formação e educação ao nível do programa operacional para o potencial humano.

Bruno Silva

—> Perfil de Bruno Silva no Facebook
—> Perfil de Bruno Silva no LinkedIn

# Coach,Consultor, Formador e E-Formador, desde 2009, em projectos financiados e não financiados como é o caso de projectos conjuntos formação – acção (AEP, IAPMEI, CAP, AIP, CTP, CCP), projectos individuais SI Qualificação / Inovação / Internacionalização (QREN e P2020),  Empreendedorismo no Feminino (CIG), Cursos de Especialização Tecnológica, Formações Modulares e de Vida Activa, entre outro tipo de projectos, na InnovMark, colaborando em parceria com Instituições de Ensino Superior, Associações Empresariais e de Desenvolvimento Regional, Entidades de Consultoria e de Formação Profissional DGERT.

# Speaker / Orador, desde 2009, com mais de 100 presenças nos principais Congressos, Seminários, Workshops e Conferências nacionais e Feiras de Negócios nas áreas da Inovação, Marketing e Empreendedorismo.

# Fundador e Responsável de Marketing (Community Manager), desde 2006, do Portal Inovação & Marketing, que conta actualmente com mais de 90.000 Subscritores, considerando todos os formatos de subscrição, sendo um dos maiores projectos deste género em Portugal.

# Cronista desde 2006 no Portal Inovação & Marketing, Revista Inovar-te, Portal AEP, Revista Brasileira de Administração, Revista Farmácia Distribuição, E-Go-Marketing, Revista Portugal Inovador (Jornal Público), RTP2, Marketing Farmacêutico e Revista SPOT.

# Fundador e Responsável de Marketing (Community Manager), desde 2013, do “Dish Mob Portugal“, movimento cívico que promove o espírito “Dish Mob”, sendo um movimento nacional importante na promoção do networking e de aceleração de ideias nas áreas da inovação e do empreendedorismo de base local, com cerca de 40 eventos realizados a nível nacional.

Licenciado em Gestão (Univ. Minho – 2004), Pós-Graduação em Marketing (IPAM – 2006), Mestrado (Parte Curricular) em Gestão da Inovação, Tecnologia e Conhecimento (Univ. Aveiro – 2007) e Especialização em Empreendedorismo de Base Tecnológica (Univ. Aveiro – 2007)

Experiência nas seguintes temáticas: Gestão de Empresas, Inovação, Empreendedorismo, Marketing, Vendas, Comunicação de Marketing, Marketing Digital, Marketing em Social Media, Marketing Inovador, Internacionalização, Marketing Internacional, Negócios Internacionais, Recursos Humanos, Coaching Comercial, Coaching a Empreendedores e a Executivos.

Partilha!



Enter Google AdSense Code Here

Tell us what you're thinking...
and oh, if you want a pic to show with your comment, go get a gravatar!