100 mil Seguidores desde 2016!

Maio 2, 2024 by  
Filed under InnovMark

O Portal Inovação e Marketing foi fundado em 2006 e a InnovMark foi fundada em 2009.

Em 2016 consegui ser a primeira pessoa em Portugal a superar os 100.000 seguidores nos vários perfis de social media, em páginas dedicadas a temáticas relacionadas com a inovação, marketing e/ou marketing digital.

Atualmente as várias presenças digitais contam com +115.000 seguidores:

Bruno Silva: +9K

InnovMark: +15K

Portal Inovação & Marketing: +91K

As páginas de social media podem ser seguidas em:

Bruno Silva:

Facebook: https://www.facebook.com/brunojmsilva
Instagram: https://www.instagram.com/brunosilva.pt
LinkedIn: https://www.linkedin.com/in/brunosilva

InnovMark:

Facebook: https://www.facebook.com/innovmark
Instagram: https://www.instagram.com/innovmark
LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/innovmark
Youtube: https://www.youtube.com/innovmark

Portal Inovação & Marketing:

Facebook: https://www.facebook.com/p.inovacaomarketing
Instagram: https://www.instagram.com/p.inovacaomarketing
Twitter: https://twitter.com/inovacaomkt

Bruno Silva
Braga, Portugal, 02 de Maio de 2024

Balanço de Actividades (2009-2022)

Dezembro 30, 2022 by  
Filed under InnovMark

Chegamos à altura do Ano que é a ideal para se realizar os Balanços do Ano e os Balanços de Actividades.

(InnovMark, Portal Inovação & Marketing)

Artigo de Opinião: “Inovação na Indústria” (Revista SPOT)

Inovação na Indústria

Por Bruno Silva

O PRR – Plano de Recuperação e Resiliência, tem uma componente importante de aposta na descarbonização da indústria com 715M€ de apoio ao investimento, ao nível do eixo da transição climática. A descarbonização da indústria tem como objetivo acelerar a transição para uma economia neutra em carbono, promovendo ao mesmo tempo a competitividade da indústria e das empresas, através da sua descarbonização, da redução do consumo de energia e da promoção de fontes endógenas de energia.

Portugal assumiu um compromisso de alcançar a neutralidade carbónica até 2050, estando alinhado com o objetivo do Pacto Ecológico Europeu que passa por tornar a Europa no primeiro continente neutro em carbono, existindo igualmente o objetivo de ser inscrito na Lei Europeia para o Clima uma meta ambiciosa de redução de emissões para 2030, de pelo menos 55% das emissões. Até 2019, Portugal tinha conseguido reduzir 26% da emissão de gases com efeito de estufa, em relação a 2005, além de ter alcançado outra melhoria significativa ao ter-se conseguido disponibilizar 30,7% de energia de fonte renovável no consumo final de energia.

O Roteiro para a Neutralidade Carbónica pressupõe um conjunto de linhas de atuação que passam por vários objetivos como é o caso da promoção da descarbonização da indústria, através da eletrificação, da incorporação de energia de fonte renovável e de combustíveis alternativos. A Promoção da eficiência energética e de recursos é uma área importante, que pode ser alcançada através de tecnologias mais eficientes e eficiência energética. Outro objetivo passa pelo fomento da eco inovação e de processos de produção mais limpos, além da aposta na digitalização da indústria (Indústria 4.0) que é uma importante área de inovação sectorial. Um objetivo que está a ganhar uma maior importância passa pela promoção da economia circular na indústria, através da aposta numa economia circular e de baixo carbono, que pode ser alcançada através de cooperações industriais que ajudem a fomentar esta tendência. Por último, uma importante linha de atuação que vai ganhar importância é a promoção de projetos de Investigação & Desenvolvimento que constituam suporte a uma indústria inovadora, competitiva, e de baixo carbono.

O PRR é um dos mais recentes passos para o fortalecimento destas tendências inovadoras orientadas para a indústria, e é expectável que nos próximos quadros comunitários europeus exista um reforço da aposta nestas tendências de inovação e de descarbonização do setor industrial, tendências essas que vão afetar imensos setores indústrias que têm grande tradição em Portugal. Tais mudanças vão originar a necessidade de as empresas industriais portuguesas se adaptarem aos novos ventos de mudança que já se começam a sentir no sector industrial.

Bruno Silva

—> Perfil de Bruno Silva no Facebook
—> Perfil de Bruno Silva no LinkedIn

# Coach Executivo, Consultor, Formador e E-Formador, desde 2009, em projectos financiados e não financiados como é o caso de projectos conjuntos formação – acção (AEP, IAPMEI, CAP, AIP, CTP, CCP), projectos individuais SI Qualificação / Inovação / Internacionalização (QREN e P2020),  Empreendedorismo no Feminino (CIG), Cursos de Especialização Tecnológica, Formações Modulares e de Vida Activa, entre outro tipo de projectos, na InnovMark, colaborando em parceria com Instituições de Ensino Superior, Associações Empresariais e de Desenvolvimento Regional, Entidades de Consultoria e de Formação Profissional DGERT.

# Speaker / Orador, desde 2009, com mais de 100 presenças nos principais Congressos, Seminários, Workshops e Conferências nacionais e Feiras de Negócios nas áreas da Inovação, Marketing e Empreendedorismo.

# Fundador e Responsável de Marketing (Community Manager), desde 2006, do Portal Inovação & Marketing, que conta actualmente com mais de 90.000 Subscritores, considerando todos os formatos de subscrição, sendo um dos maiores projectos deste género em Portugal.

# Cronista desde 2006 no Portal Inovação & Marketing, Revista Inovar-te, Portal AEP, Revista Brasileira de Administração, Revista Farmácia Distribuição, E-Go-Marketing, Revista Portugal Inovador (Jornal Público), RTP2, Marketing Farmacêutico e Revista SPOT.

# Fundador e Responsável de Marketing (Community Manager), desde 2013, do “Dish Mob Portugal“, movimento cívico que promove o espírito “Dish Mob”, sendo um movimento nacional importante na promoção do networking e de aceleração de ideias nas áreas da inovação e do empreendedorismo de base local, com cerca de 40 eventos realizados a nível nacional.

Licenciado em Gestão (Pré-Bolonha) (Univ. Minho – 2004), Pós-Graduação em Marketing (IPAM – 2006), Mestrado (Parte Curricular) em Gestão da Inovação, Tecnologia e Conhecimento (Univ. Aveiro – 2007) e Especialização em Empreendedorismo de Base Tecnológica (Univ. Aveiro – 2007)

Experiência nas seguintes temáticas: Gestão de Empresas, Inovação, Empreendedorismo, Marketing, Vendas, Comunicação de Marketing, Marketing Digital, Marketing em Social Media, Marketing

InnovMark organizou um ciclo de Workshops e Sessões sobre Empreendedorismo (ATAHCA CLDS 4 Geira) (Setembro a Novembro 2022)

Novembro 24, 2022 by  
Filed under InnovMark

A CLDS 4Geira da ATAHCA, em parceria com a InnovMark, organizar um ciclo de Workshops e Sessões de Esclarecimento, realizadas em Setembro, Outubro e Novembro, ministrado pelo Orador Bruno Silva, com o objetivo de promover o empreendedorismo e apoiar os desempregados e empreendedores a dar os primeiros passos neste caminho de criação do próprio negócio. Através destes workshops foi possível estimular a reflexão individual para o desafio de ser empreendedor, tal como a abordagem aos passos fundamentais da transformação da ideia para o Plano de Negócios, bem como a apresentação de alguns apoios e casos de estudo relacionados com o empreendedorismo.

Artigo de Opinião: “A Inovação na Saúde” (Revista SPOT)

A Inovação na Saúde

Por Bruno Silva

A Inovação no sector da saúde é uma realidade crescente atendendo ao forte investimento que está a acontecer a nível mundial em termos de Investigação & Desenvolvimento, que permitirá nas próximas décadas ao surgimento de muitas tecnologias, tratamentos e medicamentos inovadores.

Apesar de a inovação ser demorada no setor da saúde, pudemos assistir durante a pandemia COVID-19 à união de toda a comunidade científica mundial, bem como a ligações com empresas privadas a trabalhar a um ritmo alucinante para encontrar soluções para o COVID-19, e com sucesso foi possível encontrar soluções num tempo recorde, atendendo à rapidez com que foi feita a investigação, desenvolvimento, aprovação e aplicação das soluções no mercado.

No entanto, não só de novos produtos e serviços serão as inovações das próximas décadas. O surgimento de serviços de videoconferência com médicos e especialistas, também impulsionada por serviços privados durante a pandemia, ajudam a perspetivar o que poderá ser a saúde nos próximos anos. Para consultas gerais de saúde, muitas vezes uma consulta à distância poderá ter o mesmo impacto que uma consulta presencial poupando recursos e tempo, tanto para os serviços médicos bem como para os utentes. Basta analisar as deslocações a que muitos idosos são sujeitos em localidades do interior para se perceber como a generalização deste serviço por parte dos serviços públicos de Saúde também poderá ser uma realidade nos próximos anos.

E para que a inovação seja constante e geral a todo o mercado falta uma decisão histórica e decisiva que deverá ser adotada por parte da União Europeia nas próximas décadas com a introdução do Sistema Europeu de Saúde. Hoje em dia já existe o Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) que é gratuito, e pode e deve ser solicitado pelas pessoas que se desloquem para países da União Europeia e possam ter de receber cuidados médicos nesses países, durante as suas deslocações.

No entanto, falta o decisivo passo que poderá ser a união do mercado europeu em termos de saúde, onde um paciente deverá ter um limite máximo de semanas ou de meses para receber o tratamento adequado no serviço nacional de saúde, e caso esse serviço não responda em tempo útil deverá ser atribuída uma autorização automática para que esse paciente possa receber esse tratamento noutra unidade de saúde pública ou privada, nacional ou de outro país membro da União Europeia.

Apenas quando existir um verdadeiro mercado liberalizado e concorrencial assistiremos a uma verdadeira preocupação com os utentes e pacientes por parte de certos sistemas nacionais de saúde que parece que ainda trabalham segundo metodologias e formas de organização e de produtividade do século passado. No dia em que existir um verdadeiro Sistema Europeu de Saúde liberalizado, os profissionais e os estabelecimentos de saúde sem qualidade ou sem tempo adequado de resposta ficarão sem “clientes”, porque nessa altura existirá uma verdadeira liberdade de escolha.

Bruno Silva

—> Perfil de Bruno Silva no Facebook
—> Perfil de Bruno Silva no LinkedIn

# Coach Executivo, Consultor, Formador e E-Formador, desde 2009, em projectos financiados e não financiados como é o caso de projectos conjuntos formação – acção (AEP, IAPMEI, CAP, AIP, CTP, CCP), projectos individuais SI Qualificação / Inovação / Internacionalização (QREN e P2020),  Empreendedorismo no Feminino (CIG), Cursos de Especialização Tecnológica, Formações Modulares e de Vida Activa, entre outro tipo de projectos, na InnovMark, colaborando em parceria com Instituições de Ensino Superior, Associações Empresariais e de Desenvolvimento Regional, Entidades de Consultoria e de Formação Profissional DGERT.

# Speaker / Orador, desde 2009, com mais de 100 presenças nos principais Congressos, Seminários, Workshops e Conferências nacionais e Feiras de Negócios nas áreas da Inovação, Marketing e Empreendedorismo.

# Fundador e Responsável de Marketing (Community Manager), desde 2006, do Portal Inovação & Marketing, que conta actualmente com mais de 90.000 Subscritores, considerando todos os formatos de subscrição, sendo um dos maiores projectos deste género em Portugal.

# Cronista desde 2006 no Portal Inovação & Marketing, Revista Inovar-te, Portal AEP, Revista Brasileira de Administração, Revista Farmácia Distribuição, E-Go-Marketing, Revista Portugal Inovador (Jornal Público), RTP2, Marketing Farmacêutico e Revista SPOT.

# Fundador e Responsável de Marketing (Community Manager), desde 2013, do “Dish Mob Portugal“, movimento cívico que promove o espírito “Dish Mob”, sendo um movimento nacional importante na promoção do networking e de aceleração de ideias nas áreas da inovação e do empreendedorismo de base local, com cerca de 40 eventos realizados a nível nacional.

Licenciado em Gestão (Pré-Bolonha) (Univ. Minho – 2004), Pós-Graduação em Marketing (IPAM – 2006), Mestrado (Parte Curricular) em Gestão da Inovação, Tecnologia e Conhecimento (Univ. Aveiro – 2007) e Especialização em Empreendedorismo de Base Tecnológica (Univ. Aveiro – 2007)

Experiência nas seguintes temáticas: Gestão de Empresas, Inovação, Empreendedorismo, Marketing, Vendas, Comunicação de Marketing, Marketing Digital, Marketing em Social Media, Marketing

Página seguinte »